Imperfecta

Me permito ser imperfeita.

Me permito começar com o me. Conjugar o meu ser, como quiser.

Até que mudem essas regras tolas.

Que se importem com as coisas boas.

Que naveguemos contra a maré.

Me permito ser troncha. Ser trouxa.

Ser tola o bastante para ser quem eu quiser.

Me permito ser imperfeita.

De esquerda ou direita. No meio que eu tiver vontade de entrar.

Me permito ser atirada.

Macia, manda ou ousada.

Basta tentar.

O olhar de um mundo imperfeito

Que nada mais faz do que julgar o sujeito

E acrescentar advérbios de tédio

Para te condenar.

Me permito ser imperfeita

Vislumbro um futuro de um novo ser

Que te juro, há colher o de melhor.

Me permito ser imperfeita

E viver

A sugar e moer

Antes de virar pó.

Baseado no livro A coragem de ser imperfeito – Brené Brown

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Areia

Menino, também não te prometo nada. Já tens mais que 10 minutos. Já tens mais que um ano de idade, mas não. Não te prometo nada. És bonito. Eu sei. A vida te reservou uma beleza exterior que eu não t